adja

Abença mãe Andreia de Bessem
Eu sou Ekedi Elvira di Oya tenho 9 anos de confirmada, minha mãe de santo não está mais nesse mundo infelizmente.
Sou aquela pessoa que desabafou com a senhora no Skype lembra? Gostaria de dar os parabéns a senhora pelo lindo trabalho de divulgação de nossa religião respondendo
a esses emails mesmo sendo alguns horríveis mas a senhora mostra sua cultura e seu conhecimento dentro do santo Gostaria muito de conhecer a senhora pessoalmente após ler suas respostas nesses emails, conversar com a senhora pelo Skype
fiquei sua admiradora e vejo quanta sabedoria a senhora tem para ensinar e como é grande a sua simplicidade falo isso de testemunha porque conversei com a senhora pelo skype por causa de um problema particular meu, e a senhora foi imensamente doce e educada além de paciente comigo. Conversei com outras mães de santo e recebi portas fechadas na cara e grosseria, não vou repetir aqui o que essas senhoras falaram e como me trataram, a senhora inves me deu uma palavra de conforto e muitas esperanças. Obrigada de coração fiz questão de enviar esse email para essa coluna e faço questão que a senhora publique para que as pessoas saibam o quanto a senhora tem um grande coração. Que minha mãe Oya lhe abençõe e lhe de muitos anos de vida.

Ekedji Elvira di Oya.

sofo

Sofo Andreia Camargo responde:
Ekedji meu pai Bessem que lhe abençõe – sua abença!
Obrigada pelos elogios e resolvi postar somente para deixar claro a posição de um sacerdote ou sacerdotisa, você disse que foi destratada por pessoas que se diziam mães de santo, lamento muito esse tipo de comportamento dessas pessoas que colocam dinheiro na frente de tudo e não pensam em ajudar o seu proximo, muitas vezes quando alguém nos pede ajuda não significa que aquela pessoa precisa de iniciar na religião, essa vontade de iniciar todos que tem um problema e tratar as pessoas olhando do alto para baixo é muito triste, porque toda pose e toda arrogância termina num buraco de terra e tudo que foi de material fica para tras, nada se leva apenas as boas ações e as boas palavras que se ofereceu a alguém numa hora de desespero.  Ekedji eu não fiz mais que minha obrigação tratá-la bem é um dever de cada sacerdote ou sacerdotisa, isso não pode ser visto como qualidade mas como uma coisa natural
e deveroso de todos do acè (asé-axé) tratar os seres humanos com respeito e educação. Peço desculpas a você pelas senhoras que se intitularam mães de santo que lhe tratou mal, pois isso me deixa envergonhada e constrangida saber que na minha religião onde os voduns são humildes, onde o orisha é sinônimo de amor e ouvir relatar de sua boca esse episódio lamentável. Quem sabe um dia no futuro você ekedji não vá cuidar do santo dessas senhoras por uma ironia do destino?
Com carinho e afeto
Sofo Andreia Camargo

vanni.camargo@gmail.com


hipnoseandreiacamargo.jpg

Anúncios