Por que existe o sofrimento?

ser_felizAs nossas imposições no planeta, como vivemos e como queremos ser felizes com saúde e com uma vida repleta de prosperidade.
A televisão nos bombardeia de publicidades nocivas, a todo instante nosso cérebro recebe milhões de mensagens de desgraças, derrotas, tragédias e tudo que é negativo que acontecem no planeta, as músicas preferidas são aquelas de sofrência (sofrimento+carencia), dor, perda de um amor traído, tudo isso nos fazem acumular no subconsciente essas energias negativas as quais mentalizamos indiretamente para o universo a nossa emoção cotidiana, dor e sofrimento constante.
Está na hora de você mudar seu modo de viver, deixe de lado tudo que for negativo, evite de assistir programas que lhe ofereça noticias de tragédias, desgraças, e tudo que estiver ligado com o negativo, coloque seus olhos nas coisas boas não coloque seus pensamentos em sofrimento, ou dor, evite músicas tristes, sorria e passe para o seu “EU” tudo que for alegria positividade, não diga jamais: Se Deus quiser! Diga invés: Eu já consegui e Deus assim quer que eu consiga!
Tudo ira mudar se você começar a colocar seus olhos naquilo que você deseja para sua vida.
O sofrimento existe porque algumas pessoas escolhem isso para suas vida, essa essencia de sofrimento é como uma droga, ou até mesmo como uma morfina para seus problemas, essas pessoas ja acostumaram viver em sofrimento.
As primeiras palavras do dia devem ser sempre aquelas que você quer que seja seu dia durante toda a jornada, o primeiro sorriso transforma seu dia em alegria, não deixe pessoas vampiro (aqueles que sugam tua energia) modificar seu dia, evite aquilo que lhe faz mal.
Afaste-se de pessoas negativas dessa forma sua vida ira modificar para melhor.

Mesmo nas horas mais difícieis veja tudo pelo lado positivo dessa forma tudo ira florir mais rapido.

Texto: Andreia Camargo

Os deuses serpentes, a família réptil

Klimt-Hygeia

O culto ao Deus Serpente era reverenciado em muitas partes do planeta Terra, a deusa serpente egipciana por milhões de anos teve “vários nomes”, Wadjet (Serpente divina) depois Ua-Zit (Aquela que tem o colar do Papiro) o verde, Ua-Zit derivou Au-set, mais tarde Sothis e no final Ísis, ou Iside, cujo significado è “trono”: seu filho Horus sentou-se em cima dela como se fosse um trono.
Na antiga Roma, de precisão na região Lazio haviam vários cultos aos deuses serpentes, como aquele de Giunone Sospita a Lanuvio e aquele de Boa Deusa no Aventino.
Uma coisa é certa: O culto a serpente passou por milhões de anos, muito forte, inatacável e sentido da todos. Por esse motivo o nascente Patriarcado da igreja catolica fez de tudo para enfraquecer a majestosa potencia de um animal que doava muito poder as pessoas,  iniciava uma grande campanha contra os deuses serpentes, dessa forma houve através da igreja uma campanha para denegrir e meter em dúvida a sacra serpente, em muitas legendas encontramos em Pérseo o personagem que influenciou a base iconográfica. Por duas ocasiões ele leva vantagem sobre os reptis mitológicos: Uma vez liberta Andrômeda matando um dragão marinho, em outra ocasião matando Medusa. Precedente a Pérseo tinha o babilônio Deus Marduk que vence o reptil da deusa Tiamat, apos encontramos Horus que apunhala o crocodilo e Apolo que mata o Pitao sagrado de Delfi, tomando posse do santuário da deusa Gea, depois tem Argo que mata Echidna; Eracle que ainda no berço enforca os dois serpentes mandados da Era; e l’ittita Telepinus, deus da agricultura que vence a serpente do caos Illuyankas, restabelecendo a ordem.
A esse ponto da historia do homem foi simplesmente limitado a meter em segundo plano a mulher serpente. No correr dos anos a igreja católica iniciou uma demonização do culto ao deuses serpentes e criando uma pratica de inferiorização das mulheres, dessa forma criam propositadamente o mito de satanás que é personificado como a serpente que engana a ingênua Eva num paraíso criado para desmoralizar o culto aos deuses Reptis sendo dessa forma a única maneira de vencer e atrair fiéis para a igreja católica, através do medo e da submissão. Os contos bíblicos destacam algumas lendas criadas politicamente como a figura de São Jorge que mata o dragão (reptil) e depois São Patrício que espanta a serpente da Irlanda, metáfora para referir a ação cristiana que perseguiu e destruiu todos os cultos mágico-religiosos denominados pelos cristianos como pagãos.
A igreja católica produz uma imagem excessivamente apelativa para manipular seus fiéis: Nossa Senhora que pisa na cabeça da serpente (a deusa serpente) destruindo o poder divino da mesma.
Basilisco (Rei serpente) e todos os reptis que eram venerados são demonizados pela igreja divulgando como seres que espalham desgraças, pestes essas terríveis criaturas, (exemplo Biscione de Milão) e por ai vai toda uma campanha política contra o culto aos deuses serpentes para colocar a igreja católica sobre o poder da humanidade.
Pela nossa fortuna o culto a serpente como outros cultos denominados pagãos, não morreram sobreviveu em muitos países inclusive na Africa.

Autora: Andreia Camargo

Pesquisas em site de língua italiana: Magazine


‘Somos como perfume’, diz Mãe Beata de Iemanjá à AFP, dias antes de morrer

mae beata

– “Eu luto para que tenham respeito. Eu não quero tolerância, odeio essa palavra tolerância. Nós não deveríamos dar direito a ninguém de falar essa tolerância. Quero respeito. Eu quero ser o que eu sou, eu quero ser verdadeira. Me respeite. Eu sou uma mulher negra e eu sou uma ialorixá do candomblé, das religiões tradicionais. Me respeite, respeita a mim e a meu povo”. Continuar lendo

Pai de santo é preso por bater tambor em Olinda

‘O único crime cometido nesse caso é o preconceito religioso do Poder Judiciário e do Ministério Público’, disse Isaltino Nascimento

Para o deputado Isaltino Nascimento (PSB) a condenação judicial contra o babalorixá Edson de Omulu por “perturbação do sossego alheio” mostra o racismo das instituições públicas contra religiões de matriz africana. O Juizado Especial Criminal de Olinda condenou pai Edson a 15 dias de prisão, que foram comutados em prestação de serviço à comunidade.

“O único crime cometido nesse caso é o preconceito religioso do Poder Judiciário e do Ministério Público em proibir que um babalorixá possa usar, na sua casa, o toque dos tambores sagrados”, afirmou o deputado.

‘LIBERDADE DE CULTO’

Para Isaltino, a polícia e a Justiça estão sendo usadas por pessoas de outras religiões para tolher a liberdade de culto de cidadãos de fé afro-brasileira.
“Custo a crer em atitude semelhante contra um padre que esteja simplesmente praticando sua religião”, afirmou o parlamentar.


Estou afastada da roça do santo…

iemonja

Dofonitinha de Yemanja. 

Motumba…Estou precisando de um conselho,primeiro não quero falar mal da minha roça, ou ilê ou até mesmo do meu pai de santo, Eu me afastei do meu ilê pq não concordava com algumas coisas tipo:cargo antes dos setes anos…a pessoa que herdou o cargo não está apta aquilo ali,tive vários problemas com “essas pessoas que herdaram o cargo” eu me afastei,não somente eu como vários irmãos, eu fiz oque me coração disse,não abandonei Yemanja que ja está dentro de mim ha 4anos,hoje vivo no receio do meu pai de santo desmontar meu santo, pago minha mensalidade mesmo estando afastada..estou passando por varias dificuldades tanto financeira e de saúde e juro detesto ouvir que é culpa do meu santo, até pq fui eu que não cuidei da minha saúde e não administrei meu dinheiro…
Estou errada? Posso estar apanhando? No meu ile prevalece as quizilas,elas não são quebradas como por exemplo eu não como peixe,etc…eu não desrespeitei nada disso… AFF desculpas a falta de pontuação estou extremamente nervosa.

andreiacamargo2

Sacerdotisa Andreia Camargo responde:

Motumba l’asè dofonitinha.

Muitas vezes acontece do vodum, orixá, Nkice do sacerdote dar o cargo a determinado filho da casa ou a um determinado vodúnsi amigo e acontece que muitos desses não terem ainda sete anos pago, isso não é um problema visto que o cargo foi dado pelo sagrado. Não é uma regra ter que ter cargo somente apos sete anos, você pode exercer cargos antes dos sete anos na sua roça se assim o sacerdote através do jogo de búzios ver que o vodum da casa assim indicou. Em outros casos é o próprio sacerdote a escolher, mas creio que hoje muitos sacerdotes estão visando a parte financeira e esquecem do lado espiritual, da essência maior que é a humildade e o amor pelo sacerdócio. Não sei se esse é o caso de seu sacerdote. Dofonitinha você poderia está mais concentrada no seu sagrado, a casa do santo hoje se transformou numa disputa constante, coloque sua concentração no seu sagrado, faça a sua parte você está ali para cultuar seus deuses e não pessoas, muitas vezes afrontar decisões do sacerdote acabam dessa forma em quizilas, quanto o temor de seu sacerdote desfazer seu orixá, lembre-se seu orixá está no seu Tá (cabeça), o ibá é o simbolismo do sagrado, o principal acompanha você, porque eu costumo sempre dizer que cada vodúnsi, omorixa ou muzenza são um ibá em vida. O resto é apenas simbolismo e representatividade do sagrado. Você me pergunta se está apanhando do orixá, eu respondo que você como ser humano ira passar por problemas como todo mundo, o orixá não tem culpa da suas falhas psicológicas e de suas perdas nas suas batalhas cotidiana, o grande problema das pessoas é dar poder a quem não deveria dar, comece a se preocupar com a sua vida e esqueça aquilo que lhe faz mal, você não é obrigada a estar em nenhum lugar se isso lhe faz mal, qualquer coisa que escraviza não serve para ninguém, e lembre-se para onde você for, não de poder a quem lhe faz mal, dentro de uma roça de santo se concentre em cuidar de seu sagrado, faça a sua parte e tenha fé que o resto cuida os voduns, orixás e Nkices eles tem poder para ajeitar tudo na hora certa, quanto a sua parte emocional, não fique nervosa, respire profundo, avalie bem sua decisão de ter se afastado da casa do seu santo, tente conversar com seu sacerdote em particular, caso já tenha feito e não teve uma boa solução, lembre-se você tem o poder total de sua vida, é você quem decide o que é melhor para você e volto a dizer, não se preocupe com outras pessoas, preocupe-se com você mesma, é preciso que você entenda que você está na casa do seu santo para cultua-lo e reverencia-lo, é a seu orixá que você deve dar poder. Comece agradecendo o pouco que você tem, o teto que está lhe cobrindo do frio, a comida que está no seu prato e a sua saúde porque existem doenças e Doenças, se você está andando e consegue se locomover sem ajuda de ninguém então agradeça porque quanto mais você agradece o que tem mais as coisas melhoram. Força minha querida não desanime e pare de chorar suas mágoas e vai a luta porque quanto mais você chora a vida mais a negatividade entra no seu destino, levante seu itá e diga fortemente: “Eu sou uma vitoriosa e minha vida é maravilhosa.” Diga isso com convicção e tudo começara a se transformar para você para melhor.

O Rei Dan é vivo

Dangbe Gbenoi.

 

 

 

Vodum Dan

dada

Dan – É o vodun da riqueza, bastante popular na Religião Fon. É representado por uma serpente que se rasteja e se esconde na terra, mas que ascende ao céu na forma de arco-íris, sendo chamado pelo título completo de Dan Ayidohwedo. Ele é um Ayi-vodun, ainda que possa ser associado aos Ji-vodun, pois diz-se que ele transporta Heviossô até as nuvens para semear as chuvas benfazejas. O culto de Dan é originário da província Mahi, no planalto ao noroeste de Abomei e, de fato, pode ser considerado o Tô-vodun, divindade nacional dos Mahi. No resto do país Fon, os noviços de Dan são chamados por isso de mahinu, e falam o dialeto mahi dentro do convento. No final da iniciação eles são chamados de lali, que têm somente metade da cabeça totalmente raspada ao término do processo de iniciação. O vodun Dan corresponde a uma família completa, onde existem 41 aspectos masculinos e femininos da divindade. Talvez por ser ligado à fertilidade e à riqueza, Dan possui muitos adeptos e iniciados que buscam suas benesses. Não pode ser confundido com Dangbê (Dangbê – É a píton sagrada, cultuada, sobretudo em Uidá, no Benin, onde seu convento principal fica em frente a catedral católica romana). Sua louvação principal é: A Hho bo boy = “Salve o rei cobra” (Hho = rei, bo boy = Dans, serpentes, cobras).
O livro dos deuses vodum

 

Vodum Agbê

Golden sunrise clouds and rising sun above sea , Atlantic Ocean

Vodum Agbê é o Vodun senhor de hu (mar). Está entre os Tô-vodun, cultuado
sobretudo pelos hweda, nas circuvizinhanças de Uidá e Grande Popo, no Benin.
Ele foi o terceiro filho de Mawu, gerado com sua irmã gêmea Naeté. Ele é
representado por uma serpente, um símbolo que representa tudo que é perene.
Um de seus filhos mais temidos é Dan Toxosu, que manifesta sua própria
imagem, nos nascimentos de bebês com deformações físicas, pois os fon
consideram que crianças com deformidades são protegidos por Tohosu ou
Toxosu (lê-se: Torrossu).
O Livro dos Deuses Vodun

Você sabia? Classificação dos voduns.

p6010

Voduns são classificados em:
* Os Ji-vodun , ou “voduns do alto”, chefiados por Sô (forma basilar de Heviossô).
* Os Ayi-vodun , que são os voduns da terra, chefiados por Sakpatá.
* Os Tô-vodun , que são voduns próprios de uma determinada localidade (variados).
* Os Henu-vodun , que são voduns cultuados por certos clãs que se consideram seus descendentes (variados).

O livro dos Deuses vodum